Leitura em Grupo - Dias perfeitos

Olá

Estou uma maquininha de ler esses dias, rs...bom demais, mas ontem fiquei bem triste, pois meu kindle quebrou, alguém sentou em cima do bichinho e ele se entortou todo e bichou a tela, snif snif

Bom...bora ler para esquecer a tristeza!

Esse livro "Dias perfeitos" do Raphael Montes é de um nervosismo sem fim...li rapidinho e me chocou várias vezes, me fez ficar com medo pensando na filha que tenho em casa (e no filho também) e também me fez ficar saudosa dos meus tempos de adolescente/jovenzinha que podia sair mais tranquilamente á noite! rs

A escrita é boa, envolvente, flui bem mas é ELETRIZANTE DEMAIS e mórbido também.
Téo é o verdadeiro psicopata perseguidor.
Clarice uma doidivanas inconsequente!
Enfim, uma duplinha tenebrosa...

Nesse livro vc encontra loucura, perseguição, sequestro, estupro, assassinato e alguns acidentes sinistros, kkkkk

Ainda estou analisando alguns pontos, pois até agora não me decidi se gostei ou não do livro (mais propensa ao não gostar). Do final, sei que não gostei...ODIEI...tantas coisas ruins aconteceram, crimes cometidos para terminar como terminou, pra mim é inadmissível!

Ele é um personagem que desvendamos logo de cara e já sabemos quem é...ela porém é um ponto de interrogação maior, várias vezes me fez pensar se ela estava lidando com a realidade ou se estava era interpretando. Enfim...só lendo pra entender, até pq se eu falar demais vou acabar dando spoillers. rsrsrs

Téo é um solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e examinar cadáveres nas aulas de anatomia. Durante uma festa, ele conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Ela está escrevendo um road movie sobre três amigas que viajam em busca de novas experiências. Obcecado por Clarice, Téo quer dissecar a rebeldia daquela menina. Começa, então, uma aproximação doentia que o leva a tomar uma atitude extrema. Passando por cenários oníricos, que incluem um chalé em Teresópolis e uma praia deserta em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita, repleta de tortura psicológica e sordidez. O efeito é perturbador. Téo fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas atitudes com uma lógica impecável. A capacidade do autor de explorar uma psique doentia é impressionante – e o mergulho psicológico não impede que o livro siga um ritmo eletrizante, repleto de surpresas, digno dos melhores thrillers da atualidade. Dias perfeitos é uma história de amor, sequestro e obsessão. Capaz de manter os personagens em tensão permanente e pródigo em diálogos afiados, Raphael Montes reafirma sua vocação para o suspense e se consolida como um grande talento da nova literatura nacional.

É um livro de poucas páginas, se vc se arriscar a ler, dp vem me contar o que achou, ok?

Por hoje é isso!

beijossss

Leila


2 comentários:

  1. Ai amiga, meio pesado , né ? Acho que não quero ler, rsrsrs
    Mas vc esta uma maquininha de ler mesmo... Já perdi as contas, rsrsrsr
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Li a metade dele... achei o personagem doentio demais... ainda quero terminar só pra saber o final. Você tem razão muito mórbido.

    ResponderExcluir