Conversinha - Marina

Olá pessoal

Voltei com o livro lido para a 3ª semana do #MLI2015 que teve como tema romance, drama ou contemporâneo...eu escolhi Marina de Carlos Ruiz Zafón (não sei bem se encaixa corretamente no tema, mas o importante é que li um livro que gostei, heheh).

Esse é o segundo livro de Zafón que leio e ambos foram juvenis e mesmo assim ameiii, como todos sabem tenho ódio mortal de livros juvenis e raramente, muito raramente abro uma exceção e com os dois de Zafón foi assim, li, gostei muito de sua escrita, dos seus finais não convencionais e de como ele vai nos guiando pela trama, sempre com suspense e alguma história bizarra e meio pro sobrenatural, amooo!

Marina é uma fofa linda, de beleza etérea e personalidade cativante e honesta, impossível não se encantar com ela. Oscar é um adolescente perdido no mundo, pelo visto com problemas familiares vivendo um internato e sedento de aventuras e ligações emocionais e humanas, que encontra na família de dois de Marina e Gérman, que não são nada comuns e têm um mundo próprio, mas que abrem os braços e acolhem esse menino introspectivo e carente.

Lógico que Marina e Oscar se metem aonde não devem, numa história antiga cheia de mistérios e crimes, algo além do imaginável e ai a coisa toda começa a engrenar...só lendo mesmo pra saber pq não vou contar nadica de nada, rs

Zafón seu lindo, amei!

Marina - Neste livro, Zafón constrói um suspense envolvente em que Barcelona é a cidade-personagem, por onde o estudante de internato Óscar Drai, de 15 anos, passa todo o seu tempo livre, andando pelas ruas e se encantando com a arquitetura de seus casarões.

É um desses antigos casarões aparentemente abandonados que chama a atenção de Oscar, que logo se aventura a entrar na casa. Lá dentro, o jovem se encanta com o som de uma belíssima voz e por um relógio de bolso quebrado e muito antigo. Mas ele se assusta com uma inesperada presença na sala de estar e foge, assustado, levando o relógio. Dias depois, ao retornar à casa para devolver o objeto roubado, conhece Marina, a jovem de olhos cinzentos que o leva a um cemitério, onde uma mulher coberta por um manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre à mesma data, à mesma hora.

Os dois passam então a tentar desvendar o mistério que ronda a mulher do cemitério, passando por palacetes e estufas abandonadas, lutando contra manequins vivos e se defrontando com o mesmo símbolo - uma mariposa negra - diversas vezes, nas mais aventurosas situações por entre os cantos remotos de Barcelona. Tudo isso pelos olhos de Oscar, o menino solitário que se apaixona por Marina e tudo o que a envolve, passando a conviver dia e noite com a falta de eletricidade do casarão, o amigável e doente pai da garota, Germán, o gato Kafka, e a coleção de pinturas espectrais da sala de retratos.

Em Marina, o leitor é tragado para dentro de uma investigação cheia de mistérios, conhecendo, a cada capítulo, novas pistas e personagens de uma intrincada história sobre um imigrante de Praga que fez fama e fortuna em Barcelona e teve com sua bela esposa um fim trágico. Ou pelo menos é o que todos imaginam que tenha acontecido, a não ser por Oscar e Marina, que vão correr em busca da verdade - antes de saber que é ela que vai ao encontro deles, como declara um dos complexos personagens do livro. 


Bom, então é isso por hoje.

beijinhos e boa semana

<3

2 comentários:

  1. Eu li a Trilogia da Névoa e achei muito bom, estava pensando em ler A sombra do Vento, mas talvez passe Marina na frente...

    ResponderExcluir
  2. Eu tbem gostei desse. Eu adoro como a história vai tendo desdobramentos e histórias paralelas. Muito bom esse autor! É juvenil mas não é xarope, Kkkkk
    Vc tem que me ensinar a ler tanto assim.
    Bjs,

    ResponderExcluir