#52em52 - Semana 39

Nossaaaaa

Dessa vez a ressaca literária me pegou de jeito, faz uma semana que terminei Toda Luz que não podemos ver e só hj consegui terminar de ler outro livro. Simmm, foi tenso, nada engrenava, aí resolvi pegar esse da Julia Quinn, que sabia seria uma boa leitura.

De todos os livros da série Os Bridgertons, esse foi o que achei mais sério até agora. Francesca é mais densa, mais madura em relação à todos os seus irmãos nos livros anteriores, firme, coesa e determinada. É lógico que admitir e aceitar se apaixonar novamente após a morte do esposo é difícil, porém mesmo assim ela conseguiu seguir adiante.

Michael é um exemplo de virtude ao meu ver, amar a esposa do primo sem ser leviano, sendo puro de coração e não invejando é algo realmente admirável. E com toda certeza merecia o seu final feliz com a mulher que amou silenciosamente por 6 anos. Um fofo!!!

Amei também a nota explicativa da Julia ao final do livro e amei mais ainda saber que parte dos lucros da venda do livro foram/serão destinados à uma causa humanitária, a erradicação da malária em países subdesenvolvidos. Julia, sou sua fã!

Toda vida tem um divisor de águas, um momento súbito, empolgante e extraordinário que muda a pessoa para sempre. Para Michael Stirling, esse instante ocorreu na primeira vez em que pôs os olhos em Francesca Bridgerton.

Depois de anos colecionando conquistas amorosas sem nunca entregar seu coração, o libertino mais famoso de Londres enfim se apaixonou. Infelizmente, conheceu a mulher de seus sonhos no jantar de ensaio do casamento dela. Em 36 horas, Francesca se tornaria esposa do primo dele.

Mas isso foi no passado. Quatro anos depois, Francesca está livre, embora só pense em Michael como amigo e confidente. E ele não ousa falar com ela sobre seus sentimentos – a culpa por amar a viúva de John, praticamente um irmão para ele, não permite.

Em um encontro inesperado, porém, Francesca começa a ver Michael de outro modo. Quando ela cai nos braços dele, a paixão e o desejo provam ser mais fortes do que a culpa. Agora o ex-devasso precisa convencê-la de que nenhum homem além dele a fará mais feliz.

No sexto livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn mostra, em sua já consagrada escrita cheia de delicadezas, que a vida sempre nos reserva um final feliz. Basta que estejamos atentos para enxergá-lo.


Bom, é isso por hoje pessoal. Espero retomar à minha rotina literária e conseguir ler mais até a próxima ressaca, hehehe

bjsss

2 comentários:

  1. Não quis fazer scrap com esse não? Rs.
    Eu achei esse um dos mais levinhos da série, amiga!

    ResponderExcluir
  2. Eu concordo totalmente com vc!
    Gostei bastante do livro, achei o mais denso, mais voltado para as relações e a personalidade dos personagens.
    Cada vez mais fã da Julia, a forma como ela vai amarrando as narrativas é sensacional. Tudo vai se encaixando! Tbem adorei as notas e a doação. É uma autora admirável!
    Bjs

    ResponderExcluir