Conversinha - Proibido 15/52

Olá pessoal

Eis que finalizei mais um livro nessa terça-feira de carnaval e esse é daqueles bem polêmicos, densos, tensos e muito muito dramáticos.

A Tabitha Suzuma escreveu sobre uma tema proibido - o incesto - de uma forma sensível, tocante e revoltante, tudo junto e misturado. Ainda estou meio chocada com tudo o que aconteceu durante o desenrolar da história.

O amor de dois irmãos biológicos nos dias atuais, em nossa sociedade atual é algo desprezível, impensável e realmente proibido, mas houve já uma época em que casamentos entre irmãos fazia parte da cultura de alguns povos, mas enfim, NÃO PODE.

Mas como a própria chamada do livro indaga "Como uma coisa tão errada pode parecer tão certa?".

Como mãe e cristã vejo que tudo aconteceu pela desestrutura familiar, pela situação caótica desses irmãos, que tiveram que assumir papéis inerentes à eles: os papéis de pai e mãe de seus outros irmãos, mantenedores, cuidadores e todas as responsabilidades de um casal. Assim sendo acabam querendo viver esse papel na plenitude.

Não tinham uma vida de adolescentes/jovens normais (Locham tinha quase 18 anos e Maya quase 17). Aos poucos foram se entregando a esses sentimentos conflitantes, mesmo tendo a consciência de que era errado.

Mas isso é o meu ponto de vista do livro ehin pessoal...você pode ler e ter uma outra opinião, ok? Não estou aqui para julgar o que é certo ou errado, apenas para deixar as minhas impressões da leitura.

E você, já leu? Gostou? Quais suas reflexões?

Eu demorei muito para ler esse livro, porque achei realmente muito tenso e eu verdadeiramente estava com medo, rs.

Ficava o tempo todo me perguntando como essa história acabaria e no decorrer do livro não conseguia chegar a uma conclusão, não conseguia imaginar o desfecho dessa relação. O final foi realmente surpreendente para mim.

Ela é doce, sensível e extremamente sofrida: tem dezesseis anos, mas a maturidade de uma mulher marcada pelas provações e privações da pobreza, o pulso forte e a têmpera de quem cria os irmãos menores como filhos há anos, e só uma pessoa conhece a mágoa e a abnegação que se escondem por trás de seus tristes olhos azuis.
Ele é brilhante, generoso e altamente responsável: tem dezessete anos, mas a fibra e o senso de dever de um pai de família, lutando contra tudo e contra todos para mantê-la unida, e só uma pessoa conhece a grandeza e a força de caráter que se escondem por trás daqueles intensos olhos verdes.
Eles são irmão e irmã.
Com extrema sutileza psicológica e sensibilidade poética, cenas de inesquecível beleza visual e diálogos de porte dramatúrgico, Suzuma tece uma tapeçaria visceralmente humana, fazendo pouco a pouco aflorar dos fios simples do quotidiano um assombroso mito eterno em toda a sua riqueza, mistério e profundidade.


Vou partir agora para uma leitura mais leve, just for fun! Depois volto!

beijos

<3

Um comentário:

  1. Acho que por enquanto vou "passar" essa leitura... E olha que eu gosto de temas pesados, kkkkkk.
    Bjs,

    ResponderExcluir