#marçolendomulheres - Cega - Karin Slaughter

Olá pessoal

Final do mês chegando e quase na hora de prestarmos conta das leiturinhas do mês, hoje terminei esse livro incrível da Karin Slaughter - Cega - simplesmente espetacular!

Se você gosta de um bom livro policial com pitadas de suspense e violência, essa leitura é um prato cheio, mas se prepare, muitas "tripas" esparramadas pelo chão, como disse a minha amiga Neli Knupp! kkkk

Porém a trama é super envolvente e quando você chega na metade do livro não quer mais largá-lo, é impossível não fazer suposições de quem é o assassino e o melhor é ser surpreendida. Eu não advinhei, suspeitei de uma pessoa nada a ver.

Esse eu já troquei, mas tenho outro título da autora aqui que será lido logo logo, com toda certeza.

INDICO!!!!

Comparada a craques da literatura policial como Thomas Harris e Patricia Cornwell, Karin Slaughter já mostra todo seu grande potencial neste livro de estréia. Parte de uma trilogia, envolvendo a Dra. Sara Linton, CEGA é um romance arrebatador e envolvente que promete prender o leitor da primeira à última página.

Enquanto janta com a irmã num restaurante, a Dra. Sara Linton, médica-legista e pediatra da região, recebe um cartão-postal com uma intrigante mensagem bíblica. Logo depois, encontra no banheiro o corpo mutilado de uma jovem professora universitária. O ex-marido de Sara, chefe de polícia Jeffrey Tolliver, lidera as investigações e uma vez que a vítima era a irmã gêmea de uma detetive do departamento de polícia, toda a equipe se sente pessoalmente atingida com o crime. Um clima de terror parece dominar a cidade, mas é só durante a autópsia do corpo que Sara começa a compreender a extensão do trabalho ? e das intenções ? do assassino. Sibyl Adams, a vítima, foi estuprada, drogada e esfaqueada: dois cortes profundos formavam uma cruz macabra na altura do estômago. O relatório toxicológico revela que a droga utilizada foi beladona, uma substância volátil que deixa a vítima consciente, mas incapaz de enxergar o que está ao seu redor. Aos poucos, as suspeitas recaem sobre o namorado da vítima, cujo passado nebuloso com drogas poderia resultar numa intimação. Mas, antes de chegar até ele uma outra mulher, é encontrada morta, drogada, estuprada e crucificada no estacionamento do hospital onde Sara trabalhava. O sadismo do assassino estava evidente e, mais uma vez, a médica foi a escolhida para encontrar sua vítima. As coincidências não param por aí e provavelmente nem os estupros e mortes.

Tudo indica que a chave para encontrar o criminoso está nas mãos de Sara. O assassino a cerca com pistas e lembretes que remetem a um segredo do passado. Um drama pessoal de Sara que pode revelar a identidade macabra do psicopata ou matá-la.

Bom, com esse livro participo dos projetos #52em52 e também do #marçolendomulheres

É isso por hoje.

Beijosss

0 comentários:

Postar um comentário