#marçolendomulheres - Persépolis

Olá pessoal

Dias tensos aqui em casa com 3/4 dos habitantes dessa residência bem doentinhos, inclusive essa que vos escreve, hehehe, mas pelo menos os dias de repouso (mais ou menos pq mãe e dona de casa não consegue essa proeza) eu consegui ler um pouquinho mais. Finalizei agora a tarde a leitura da HQ Persépolis da Marjane Satrapi.

Uma graça de livro...conta a vida de Marjane desde criança até a sua fase adulta, fala também de seu país Irã e todas as guerras travadas ali, a dureza das perdas, o impacto da religião e fanatismo naquela região e a luta por uma vida melhor e mais digna. Nos apresenta desde revolucionários a partidários do governo déspota e esclarece muitos fatos culturais. Enfim, uma leitura que super vale a pena.

Gostei da personagem, foi bem realista em todas as suas fases da vida, a rebeldia na infância, a luta pela liberdade e falta de estrutura da adolescência até aos erros e acertos também na vida adulta, alguém bem real mesmo. Gostei de acompanhar o seu amadurecimento.

Indico a leitura a todos, e à todas as idades também!


Tem umas observações super pertinentes, como..

"Na vida você vai encontrar muita gente idiota, se te ferirem, pensa que é a imbecilidade deles que os leva a fazer o mal. Assim você vai evitar responder às maldades deles, porque não tem nada pior no mundo do que a amargura e a vingança..."

Para mim a melhor frase do livro:
"Encontramos os mesmos extremistas em todas as religiões."
E não é a mais pura verdade?

"...aprendi uma coisa fundamental: só podemos ter dó de nós mesmos quando ainda é possível suportar a infelicidade..."


Não entendo muito de HQ's e sou super leiga quanto ao traço dos mesmos, mas achei a leitura desse bem fácil e nítida, fluiu super bem, mesmo tendo 352 páginas.

Esse HQ faz parte do Projeto Março Lendo Mulheres, Desafio Grupo O vendedor de livros (baseado em fatos reais), Projeto Tem que ler mesmo? e também do Projeto Lendo HQ's e Mangás que logo logo farei a apresentação em vídeo lá no canal do youtube.

Olhem a resenha do Skoob:
Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.
Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.
Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

Bom, então é isso por hoje!


Ahhh lembrando quem ainda não está participando do sorteio lá no canal do youtube, corre que ainda dá tempo!
https://youtu.be/JrCgXi4G8Ug

Beijosss

<3

0 comentários:

Postar um comentário